Acordem

O Comitť de Direitos Humanos das NaÁűes Unidas estŠ prestes a impor a legalizaÁ„o universal do aborto em nome do direito ŗ vida. - 20Jan2018 23:25:09

ONU_istock_496886976.jpg

Este comit√© de peritos independentes, encarregado de monitorar a implementa√ß√£o do Pacto Internacional de Direitos Civis e Pol√≠ticos (1966) reuniu-se em Genebra, nos dias 1 e 2 de novembro de 2017, para redigir a sua interpreta√ß√£o oficial do direito √† vida. Esta interpreta√ß√£o, intitulada Coment√°rio Geral, tem uma grande autoridade em rela√ß√£o a jurisdi√ß√Ķes e legisladores em todo o mundo, pois o Comit√© tem posteriormente o poder de julgar os Estados Partes no que diz respeito √† sua implementa√ß√£o e respeito ao tratado.

V√°rios dos membros do Comit√© aproveitaram esta oportunidade para promover a interpreta√ß√£o mais abrangente do direito ao aborto. Essa foi a posi√ß√£o tomada em particular pelo membro franc√™s do Comit√©, Olivier de Frouville, a americana Sarah Cleveland e o tunisino Yadh Ben Achour. Os outros membros permaneceram em sil√™ncio sobre esta quest√£o. Somente a Sra. Anja Seibert-Fohr, perita alem√£, tentou obter, infelizmente em v√£o, o reconhecimento do "interesse leg√≠timo para os estados partes de proteger a vida do feto", que ainda √© reconhecido pelo Tribunal Europeu dos Direitos Humanos. Os tr√™s outros membros, conhecidos por serem relutantes com a quest√£o do aborto, eram os √ļnicos ausentes.

Desde o início do debate, M. de Frouville recomendou evitar qualquer "consideração filosófica ou ideológica", mas sim se concentrar exclusivamente nos direitos das mulheres. Em nenhum momento do debate, a natureza moral do aborto foi questionada. Da mesma forma, em nenhum momento os direitos das crianças foram mencionados. Os membros do Comité foram capciosos, nunca empregando o termo "criança". De acordo com os membros do Comité, a criança não existe antes do nascimento, portanto, seria em vão mencionar os seus direitos ou interesses.

Matar fetos deficientes como "uma medida de precaução"

Na verdade, havia apenas uma menção, não de crianças, mas de "fetos", para recomendar a legalização do seu aborto eugénico. O representante da Tunísia realmente insistiu muito nessa necessidade. Afirmou que, embora seja necessário ajudar as pessoas com deficiência "depois de elas nascerem", isso não significa que "temos que aceitar permitir viver um feto com deficiência". "Devemos fazer tudo o que pudermos para evitar deficiências" acrescentou (veja aqui sua intervenção completa).
https://eclj.org/eugenics/un/a-un-expert-wants-the-prenatal-eradication-of-disabled-persons?lng=fr
 Neste ponto, o Presidente teve que intervir para lembrar aos membros do Comité que o debate está registrado.

Mas aqui novamente, a referência ao "feto" era muito explícita. Para evitar serem acusados de eugénicos, os membros queriam substituir essa palavra pela palavra "gravidez", considerada menos ofensiva, como se a mudança de termos pudesse tornar a realidade eugénica mais aceitável.

Aborto é vida

Quanto ao direito ao aborto, as recomenda√ß√Ķes da International Planned Parenthood foram seguidas literalmente pelo Comit√© neste caso. Usando o lema desta organiza√ß√£o, os membros do Comit√© declararam que o aborto deve ser despenalizado e o seu acesso deve ser "seguro, legal e acess√≠vel", sem qualquer condi√ß√£o real ou limita√ß√£o de tempo. Eles tamb√©m adotaram o argumento de que a proibi√ß√£o ou dificuldade de acesso ao aborto equivale a violar o direito das mulheres √† vida. Isso levou o Sr. de Frouville a afirmar, de maneira orwelliana, que a descriminaliza√ß√£o do aborto "est√° no cerne da quest√£o do direito √† vida".

Uma regress√£o moral

√Č uma completa invers√£o moral do significado do direito √† vida. Segue o pensamento materialista segundo o qual apenas aqueles com intelig√™ncia e vontade pr√≥pria seriam genuinamente humanos e, portanto, dignos de prote√ß√£o. Enquanto ainda n√£o alcan√ßaram essa capacidade, seriam apenas mat√©ria corporal sob o poder daqueles que s√£o "humanos", capazes de intelig√™ncia e vontade. Assim, n√£o √© a "vida humana", como uma realidade biol√≥gica, que seria protegida pelo direito internacional, mas intelig√™ncia e vontade, ou seja, for√ßa. Nem uma vez os membros do Comit√© recordaram o compromisso assumido pelos Estados de reduzir o recurso ao aborto e ajudar as mulheres gr√°vidas. A fraqueza das crian√ßas n√£o nascidas e das mulheres em perigo tem uma resposta √ļnica: elimina√ß√£o. A sobreviv√™ncia do mais apto.

No entanto, √© principalmente contra a eugenia que a universalidade do direito √† vida foi reafirmado no per√≠odo p√≥s-guerra. Os redatores da Declara√ß√£o Universal dos Direitos Humanos expressamente se recusaram a tolerar qualquer aborto eug√©nico, lembrando o seu uso pelo regime nazista; √Č apenas sob a press√£o dos pa√≠ses sovi√©ticos que eles, em 1948, renunciaram a proteger explicitamente a vida humana "desde a concep√ß√£o". √Č por causa de serem materialistas que os regimes nazista e sovi√©tico promoveram o aborto e a eugenia; e √© contra esta ideologia que as Na√ß√Ķes Unidas foram fundadas com base na igual dignidade de todo o ser humano.

Se o Comit√©¬† elabora o direito √† morte a partir do direito √† vida, revive a ideologia mort√≠fera contra a qual as Na√ß√Ķes Unidas foram fundadas.

Um outro Comit√© das Na√ß√Ķes Unidas protestou contra esta "deriva reacion√°ria". O Comit√© sobre os Direitos das Pessoas com Defici√™ncia retaliou que "As leis que explicitamente permitem o aborto devido a defici√™ncia violam a Conven√ß√£o sobre os Direitos das Pessoas com Defici√™ncia". Acrescentou que esse tipo de leis perpetuam "o preconceito segundo o qual a defici√™ncia √© incompat√≠vel com uma boa vida". Mas o Comit√© de Direitos Humanos n√£o tomou isso em considera√ß√£o, ficando os seus membros mais ativos firmemente apegados ao seu objetivo.

Um excesso de poder

Resta saber se o comité tem o poder de impor aos Estados, em nome do Pacto internacional sobre os direitos civis e políticos, uma obrigação contrária à intenção explícita de seus redatores. Contra os Estados que criticam o Comité de agir para além do seu mandato, alguns dos seus membros defenderam-se declarando que o Pacto seria um "documento vivo" do qual eles são os verdadeiros intérpretes. Concretamente, os Estados teriam, portanto, menos obrigação de cumprir o Pacto do que acatar o que os membros do Comité disserem. Isto é particularmente problemático quando a interpretação é diametralmente oposta ao significado inicial do tratado. Isso fez com que a Sra. Seibert-Fohr afrimasse, como aviso, que o Comité dos direitos do homem fragiliza perigosamente "a universalidade dos direitos humanos". De fato, se esta interpretação do Pacto for adotada, muitos Estados recusar-se-ão a aplicá-lo; o zelo ideológico de alguns membros do comité voltar-se-á fatalmente contra a sua autoridade.

A discussão sobre o comentário geral a este projeto continuará em 10 de novembro e novamente em março de 2018; serão também analizados o suicídio assistido e a eutanásia cuja aceitação o Comité pretende impor em nome do direito à vida.

No início de outubro, o ECLJ submeteu ao Comité de Direitos Humanos um memorando na defesa do direito à vida, com o apoio de mais de 130 mil pessoas que assinaram uma petição para a proteção de toda a vida humana.

Grégor Puppinck
https://eclj.org/abortion/un/le-retour-de-la-culture-de-mort









Fonte: http://www.blogtok.com/saidas.php?link=http://acordem.com/blog/32701/

Catůlicos chocados por a Šrvore de Natal do Vaticano n„o ter sŪmbolos crist„os - 20Jan2018 23:25:09

Vatican_Christmas_tree__entire__2017_810_500_55_s_c1.jpg

As decora√ß√Ķes na √°rvore de Natal do Vaticano, na Pra√ßa de S√£o Pedro, este ano est√£o desprovidas de s√≠mbolos religiosos crist√£os, relata um veterano vaticanista.

"Olhe", salientou um amigo do dr. Robert Moynihan, "Existe o s√≠mbolo da paz e os sinais orientais do yin-yang, mas n√£o h√° anjos, nem representa√ß√Ķes dos Reis Magos, nem imagens de Maria, nada a n√£o ser s√≠mbolos universais".

"N√£o vimos um √ļnico s√≠mbolo religioso, um √ļnico s√≠mbolo crist√£o, na √°rvore".

ROMA, It√°lia, 22 de dezembro de 2017 (LifeSiteNews)

https://www.lifesitenews.com/news/catholics-shocked-that-vatican-christmas-tree-has-no-christian-symbols



A Natividade "sexualmente sugestiva" do Vaticano tem laços preocupantes com os ativistas LGBT da Itália


Full_Vatican_Nativity_810_500_55_s_c1.jpg


A cena da Natividade do Vaticano com um homem nu, um cadáver e nenhuma ovelha ou bovino é a oferta artística de ativistas LGBT, segundo foi apurado.

Inquéritos efetuados pela LifeSiteNews revelaram que a Abadia de Montevergine, que doou a inovadora "Natividade da Misericórdia", abriga a imagem mariana que foi adotada como padroeira pelos ativistas LGBT na Itália. O santuário da Abadia é o destino anual de uma espécie de peregrinação sagrada e profana de "orgulho gay ancestral" que, segundo um ativista LGBT, ganhou recentemente a "participação política ativa da comunidade LGBT".

Antonella Sannini, presidente do grupo de ativistas homossexuais Arcigay Nápoles, disse à LifeSiteNews na terça-feira: "Para nós, a presença da Cena de Natividade do Vaticano é uma razão para ficarmos ainda mais felizes este ano". "Para a comunidade homossexual e transexual de Nápoles, é um importante símbolo de inclusão e integração".

A f√ļria do ber√ßo de Natal explodiu no Twitter na semana passada, quando as fotos de uma figura masculina virtualmente nua, representando o trabalho corporal da miseric√≥rdia "de vestir os nus", circularam nas m√≠dias sociais, provocando cr√≠ticas e debates acesos.

As pessoas que as viram lamentaram a "coloca√ß√£o prominente e a pose l√Ęnguida" da figura, de acordo com Breitbart, que informou que a pose da figura "levou muitos nas m√≠dias sociais a sugerirem que h√° um tom vagamente homoer√≥tico na cena".

Um observador comentou: "J√° trabalhei com um treinador pessoal. Esse personagem vai ao gin√°sio duas horas por dia, seis dias por semana.

 

nude_male_Vat_3_3_645_430_55.jpg

Natividade no Vaticano: homem nu representando o trabalho corporal da misericórdia "de vestir os nus"


Esta exibi√ß√£o horr√≠vel, uma tentativa sacr√≠lega, altamente enganosa e mal√©vola de transformar a santa inoc√™ncia da manjedoura na Pra√ßa de S√£o Pedro numa ferramenta de l√≥bi para o movimento dos direitos dos homossexuais, √© apenas o √ļltimo ato diab√≥lico, mas um que √© sintom√°tico deste pontificado", disse √† LifeSiteNews uma fonte pr√≥xima do Vaticano.

ROMA, 20 de dezembro de 2017 (LifeSiteNews)

https://www.lifesitenews.com/news/vaticans-sexually-suggestive-nativity-has-troubling-ties-to-italys-lgbt-act










Fonte: http://www.blogtok.com/saidas.php?link=http://acordem.com/blog/32683/

Irm„os Benham - O "Life Site" EstŠ a Espalhar Uma Luz - 20Jan2018 23:25:09



"A SUA PALAVRA FOI NO MEU CORA√á√ÉO COMO FOGO ARDENTE, ENCERRADO NOS MEUS OSSOS. J√Ā DESFALE√áO DE A CALAR..." - JEREMIAS 20:09

Voc√™s sabem como Deus faz com que a luz que est√° dentro de v√≥s saia para o mundo? Eles coloca-vos em situa√ß√Ķes e com pessoas e em certos contextos em que o diabo tenta extinguir a vossa luz! E essa ac√ß√£o do diabo, a soprar com todas as suas for√ßas para tentar extinguir a vossa luz, √© o que ir√° espevitar a luz que j√° se encontra dentro de v√≥s! √Č isso que eu vejo no John Henry, √© isso que eu vejo no Steve, √© isso que eu vejo na "LifeSiteNews."

A luz faz duas coisas. Primeiro exp√Ķe as vossas boas obras para que as pessoas possam realmente ver a vossa luz e ser√£o capazes de ver essas boas obras que voc√™s praticam, mas sabem a outra coisa que a luz faz? Tamb√©m exp√Ķe o mundo aos actos de malvadez. E √© aqui que uma grande organiza√ß√£o como a "LifeSiteNews" entra em ac√ß√£o. Tudo o que fazem √© simplesmente ligar a luz e apont√°-la a tudo o que √© escurid√£o.

E √© por isso que quando h√° luz tamb√©m h√° calor, e a "LifeSiteNews," o John Henry e o Steve n√£o fogem a este tipo de calor e porque realmente nos preocupamos com as pessoas √© que queremos falar sobre os limites em que eles t√™m que viver, para que possam obter a ben√ß√£o. √Č o que a "Life Site News" significa, eles realmente falam sobre os limites, √© isso que √© amor, compaix√£o com regras, certo?

E a "LifeSiteNews" tem todo o valor e eis porquê, porque estão a lutar contra o Golias!
Este, este bastião do diabo. Há uma ira contra a imagem de Deus, as crianças por nascer e o casamento e simplesmente a família e a cultura e isto está a desintegrar completamente o tecido moral que mantém unida a nossa sociedade civil, por isso vocês têm uma grande oportunidade de se envolver ou de dar de alguma forma.

E digo-vos, uma das coisas mais ousadas que poder√£o alguma vez fazer √© ganhar essas batalhas privadas porque quando estiverem numa situa√ß√£o p√ļblica, Deus n√£o apenas permitir√° que ganhem a batalha mas trar√° outras pessoas para o vosso lado, outros como o John Henry, como o Steve, que estar√£o l√° ao vosso lado.

>> Os irmãos Benham: Estamos contentes por perder negócios em prol da promoção do Reino de Deus
- Meses ap√≥s o cancelamento do seu programa no canal HGTV devido √†s suas opini√Ķes sobre a vida e o casamento, Jason e David Benham n√£o est√£o preocupados - mesmo que o seu neg√≥cio

Quando o David e eu passamos tempos difíceis, vou-vos contar, a "LifeSiteNews" ficou do nosso lado. A verdade é odiosa para aqueles que odeiam a verdade, e estamos a presenciar isto hoje nos meios de comunicação, um desdém e um desinteresse absolutos e um ódio total contra a verdade. Mas a "LifeSiteNews" está em campo, a falar a verdade, e a falar com ousadia, e então... sim! Amém!







Fonte: http://www.blogtok.com/saidas.php?link=http://acordem.com/blog/32681/

Fallout Trailer (Legendado) - 20Jan2018 23:25:09



Efeito Colateral! - Estudantes explicam porque abandonaram ou permaneceram na igreja

De 66% a 88% porcento dos jovens estão a deixar a igreja para não mais voltar e irão ver uma correlação directa com aqueles que permaneceram na fé e aqueles que deixaram a igreja,

Pergunta: Criação ou evolução? Em qual acredita?
Resposta: Hum, provavelmente terei que dizer evolução
Evolução...
Uh, evolução.

P: Existe para si algum argumento forte que faça pensar que a teoria da evolução é verdadeira, que cause essa confusão?
R: Uh, penso que os estudos que têm sido feitos em macacos são bastante convincentes.
Creio que a sequ√™ncia gen√©tica pode mudar com o passar do tempo, ap√≥s milh√Ķes e milhares de milh√Ķes de anos.
Uh, principalmente o registro fóssil e bases de dados de..., na verdade simplesmente o registro dos fósseis.

P: No seu tempo de igreja foi alguma vez confrontado com qualquer evidência científica a favor da criação, da parte dos líderes da igreja, pastores, algo desse género?
R: Nunca.
Nada em particular, n√£o.
Uh, n√£o, acho que n√£o?

P: Ainda vai à igreja ou, ou já não vai?
R: Só nos dias festivos.
Porque vou quando em família, mas...

Sabem, existe uma visão do mundo à qual todos neste país têm estado expostos: a ideia de que a evolução é verdadeira, que o relato das origens da Bíblia é nada mais do que contos de fadas. Mas quando demonstramos aos crentes que a evidência apoia fortemente o relato histórico da Bíblia, não apenas a sua fé se fortalece, mas também ficaram entusiasmados em partilhar a verdade bíblica
com a família, amigos, vizinhos e até colegas de trabalho.

P: Alguma vez os seus líderes da igreja, líderes estudantis, apresentaram qualquer ensinamento cristão que lhe mostrasse haver evidência científica que apoiasse o relato bíblico da criação?
R: Uh, sim!
Sim, aprendemos muito com diferentes cientistas criacionistas e a prova do criacionismo da terra jovem.

P: O que é que está a estudar agora?
R: Biologia.
P: Biologia, muito bem, cheia de evolução, então, mas não está convencida com os argumentos evolucionistas nas suas aulas de biologia?
R: N√£o.
P: Ainda vai à igreja?
R: Sim!
Sim senhor!
Sim, recentemente.
P: Seria então justo afirmar que a possibilidade de discutir abertamente sobre a criação na igreja a ajudou no fortalecimento dessa área, a preparou para o que está a aprender aqui na universidade acerca da evolução?
Sim!




Fonte: http://www.blogtok.com/saidas.php?link=http://acordem.com/blog/32676/

Proyecto Ambulancia Vida - 20Jan2018 23:25:09


 

Ambulancia Vida es un proyecto para salvar vidas. Cada d√≠a, en los centros abortistas de Espa√Īa, como Dator, 300 beb√©s son extirpados del seno materno. Ambulancia Vida pretende rescatar en las mismas puertas de los abortorios a esas madres que est√°n a punto de buscar la salida del aborto ante un embarazo no deseado y explicarles, por medio de una ecograf√≠a, la vida que late en su interior. Porque una madre que escucha la verdad del latido del coraz√≥n de su hijo en su interior, dif√≠cilmente abortar√°. Con una vida humana que salvemos, este proyecto habr√° merecido la pena.
 






 



Fonte: http://www.blogtok.com/saidas.php?link=http://acordem.com/blog/32669/

Trump salvou muitos paŪses dos males do Acordo ClimŠtico de Paris globalista - 20Jan2018 23:25:09

Trump_announces_climate_withdrawal_810_500_55_s_c1.jpg

No dia 1 de junho, o Presidente Donald Trump anunciou que os Estados Unidos iam retirar-se do Acordo Clim√°tico de Paris. Com essa a√ß√£o, Trump p√īs um trav√£o √† tirania globalista das altera√ß√Ķes clim√°ticas, que amea√ßa destruir a independ√™ncia, as economias, as culturas e as liberdades de muitos pa√≠ses. F√™-lo apesar de 195 pa√≠ses j√° terem assinado o Acordo e o Secret√°rio de Estado Rex Tillerson, a sua filha Ivanka e muitas outras pessoas o pressionarem para n√£o sair do Acordo. Em vez disso, o Presidente fez o que achava que estava certo para o bem dos Estados Unidos e do mundo.

- - - - - -

Esta é a parte 3 de uma série de artigos sobre o Presidente Trump.

Parte 1 - EUA em perigo devido a rea√ß√Ķes esquerdistas extremas e fora de controlo √† presid√™ncia de Trump
Parte 2 - Mais 26 raz√Ķes para estarmos gratos ao Presidente Trump
Parte 4 - As provas: Trump falha nas quest√Ķes dos homossexuais/transexuais/liberdades religiosas
Parte 5 -  Eis o motivo porque Trump está a ceder ao "casamento" dos homossexuais e aos "direitos" dos transexuais

No dia 1 de junho, o Presidente Donald Trump anunciou que os Estados Unidos iam retirar-se do Acordo Clim√°tico de Paris. Com essa a√ß√£o, Trump p√īs um trav√£o √† tirania globalista das altera√ß√Ķes clim√°ticas, que amea√ßa destruir a independ√™ncia, as economias, as culturas e as liberdades de muitos pa√≠ses. F√™-lo apesar de 195 pa√≠ses j√° terem assinado o Acordo e o Secret√°rio de Estado Rex Tillerson, a sua filha Ivanka e muitas outras pessoas o pressionarem para n√£o sair do Acordo. Em vez disso, o Presidente fez o que achava que estava certo para o bem dos Estados Unidos e do mundo.

O mundo inteiro tem uma d√≠vida de gratid√£o para com o Presidente pela sua decis√£o corajosa e √† qual ele se agarrou mais tarde, sozinho, contra as cr√≠ticas e a intensa press√£o pessoal de todos os l√≠deres mundiais, na reuni√£o do G20 realizada a 7 e 8 de julho em Hamburgo, na Alemanha. (V√≠deo abaixo - as declara√ß√Ķes de Trump sobre a sa√≠da do Acordo de Paris come√ßam aos 6 minutos.)




O compromisso anterior do Presidente Obama para com o Acordo por decreto era ilegal e n√£o vinculativo para os Estados Unidos. A sa√≠da de Trump minou efetivamente o nefasto Acordo ao qual fora dada uma falsa credibilidade pelos respetivos promotores, os quais fizeram refer√™ncia a dados cient√≠ficos que mais tarde se veio a saber por denunciantes que tinham sido deliberadamente manipulados para as negocia√ß√Ķes de Paris.

Al√©m das revela√ß√Ķes dos denunciantes, um estudo revisto por especialistas, de junho de 2017, veio tamb√©m confirmar que os dados mais recentes sobre o aquecimento global foram ‚Äúfabricados por cientistas do clima para os tornar mais assustadores‚ÄĚ. Esse estudo foi produzido por dois cientistas e um veterano de estat√≠stica e foi anteriormente subscrito por seis outros importantes cientistas e um economista s√©nior.

Zerohedge revelou que o ‚Äúrelat√≥rio bomb√°stico que analisou os dados sobre a temperatura m√©dia global √† superf√≠cie (GAST) produzidos pela NASA, a NOAA e HADLEY prova que o Presidente tinha raz√£o ao recusar‚ÄĚ participar no Acordo de Paris. Zerohedge cita o resumo do relat√≥rio:

¬†¬†¬† Os resultados conclusivos desta investiga√ß√£o s√£o que os tr√™s conjuntos de dados sobre a GAST n√£o constituem uma representa√ß√£o v√°lida da realidade. De facto, a magnitude dos seus ajustes de dados hist√≥ricos, que removeram os padr√Ķes de temperatura c√≠clicos, torna-os totalmente inconsistentes com os dados sobre a temperatura dos EUA e com outros dados publicados e cred√≠veis.

"Resumindo: As provas foram falsificadas", escreve Zerohedge. Em seguida, citam o empres√°rio e bloguista Karl Denninger, que escreveu:

¬†¬†¬† √Č, portanto, claro que os dados foram intencionalmente manipulados.

¬†¬†¬† Uma vez que isto constituiu a base para os planos para roubar, literalmente, bili√Ķes de d√≥lares e j√° resultou na extra√ß√£o for√ßada de centenas de milhares de milh√Ķes no seu conjunto aos motoristas e √† ind√ļstria, isto constitui claramente a maior fraude econ√≥mica jamais perpetrada no mundo.

A acrescentar √† montanha crescente de provas contra os charlat√£es das altera√ß√Ķes clim√°ticas, a Breitbart News relatou recentemente outro extenso artigo do distinto professor de ci√™ncias atmosf√©ricas do MIT, Richard Lindzen. No artigo, Lindzen afirma que acreditar em muitas das alega√ß√Ķes alarmistas sobre o clima...

    ...é quase como acreditar em magia. Em vez disso, dizem-nos que é acreditar em "ciência". Uma alegação deste tipo devia ser um aviso de que falta alguma coisa. Afinal, a ciência é um modo de inquirição e não uma estrutura de crenças.

Independentemente de um volume t√£o grande de provas irrefut√°veis, o Presidente Trump foi criticado e isolado na reuni√£o do G20. Segundo relatou o Independent:

¬†¬†¬† Os EUA estiveram totalmente s√≥s quanto √† quest√£o das altera√ß√Ķes clim√°ticas, sendo que os outros 19 membros concordaram em avan√ßar com o Acordo de Paris para reduzir as emiss√Ķes de gases com efeito de estufa e os EUA recusaram. A posi√ß√£o dos EUA foi anotada no comunicado oficial emitido ap√≥s a conclus√£o da reuni√£o.

¬†¬†¬† ‚ÄúSempre que n√£o se consiga chegar a um consenso, o desacordo tem de ser manifestado de forma clara‚ÄĚ, disse Angela Merkel, a anfitri√£ alem√£, n√£o escondendo o seu desapontamento. ‚ÄúInfelizmente, e lamento, os Estados Unidos da Am√©rica abandonaram o acordo clim√°tico.‚ÄĚ

¬†¬†¬† ‚ÄúAs duas principais quest√Ķes para a reuni√£o eram o com√©rcio e as altera√ß√Ķes clim√°ticas. Foi reconhecido que os EUA n√£o iriam mudar de posi√ß√£o‚ÄĚ, disse Thomas Bernes, do Centre for International Governance de Ont√°rio e antigo funcion√°rio do FMI, ao Independent, falando de Hamburgo.

¬†¬†¬† ‚Äú[Os pa√≠ses] n√£o v√£o contar com os EUA para a lideran√ßa - v√£o contar com Trudeau, Macron e Merkel.‚ÄĚ


Trump_with_American_flag_pin_645_413_55.jpg

Trump fotografado a usar apenas o pin com a bandeira americana, enquanto todos os outros
líderes do G20 usaram obedientemente o pin do G20 que lhes disseram para usar
para as fotografias de grupo.


O Presidente Trump n√£o pareceu ser dissuadido pelas tentativas para o isolar e mostrou frontalmente a sua determina√ß√£o para, acima de tudo, agir nos melhores interesses dos Estados Unidos ao ser o √ļnico l√≠der a n√£o usar o pin oficial do G20 nas fotografias de grupo dos l√≠deres do G20 e, em vez disso, usar apenas um pin com a bandeira americana.

O movimento das altera√ß√Ķes clim√°ticas √© um assalto √† civiliza√ß√£o crist√£

A oposi√ß√£o ao movimento das altera√ß√Ķes clim√°ticas, que o Cardeal George Pell viu astutamente como sintom√°tico de um vazio pag√£o, significa tamb√©m a resist√™ncia a um assalto internacional √† civiliza√ß√£o crist√£. Cada vez mais pessoas veem as coisas desta maneira, independentemente do apoio agressivo ao movimento das altera√ß√Ķes clim√°ticas e √† governan√ßa mundial por parte do Papa Francisco, dos seus muitos amigos globalistas estreitamente associados a George Soros, como Jeffrey Sachs e Ban Ki Moon, e de muitos cl√©rigos progressistas de alto n√≠vel na Igreja Cat√≥lica institucional.


emma_Bonino_George_Sorosw_645_413_55.jpg

A socialista Emma Bonino, elogiada por Francisco, a receber o prémio Pursuit of Peace 2015
de um dos principais inimigos da vida, da família e da fé do mundo - George Soros.


A milit√Ęncia e a raiva do regime de Francisco e de numerosos outros ide√≥logos das altera√ß√Ķes clim√°ticas aumentaram drasticamente desde que Trump anunciou que os EUA iam abandonar o Acordo de Paris ‚Äď o qual, legalmente, nunca celebraram em primeiro lugar. A raiva dos oponentes de Trump √© dif√≠cil de entender considerando que a Organiza√ß√£o Mundial de Sa√ļde declarou num relat√≥rio recente que os Estados Unidos estavam entre os pa√≠ses menos poluidores do planeta.

Pete Baklinski, do LifeSite, relatou a 13 de julho, uma semana depois das tentativas falhadas do G20 para fazer Trump aderir √† causa das altera√ß√Ķes clim√°ticas, um artigo explosivo da Civilt√† Cattolica, que teria sido revisto pelo Vaticano antes da publica√ß√£o. O artigo foi escrito, como relata Rorate Caeli, por ‚Äúdois dos confidentes mais pr√≥ximos do pr√≥prio Papa, Fr. Antonio Spadaro SJ (o editor) e o pastor presbiteriano argentino Marcelo Figueroa (escandalosamente, o editor da edi√ß√£o em l√≠ngua espanhola do jornal do Vaticano, L'Oservatore Romano)‚ÄĚ.

Baklinski revela que o artigo retrata os cat√≥licos conservadores nos Estados Unidos como tendo ‚Äúformado um 'ecumenismo de √≥dio' com protestantes evang√©licos no seu apoio unido ao Presidente Trump e √†s suas pol√≠ticas‚ÄĚ. E, a 14 de julho, o LifeSite relatou que o Papa Francisco, noutra entrevista com Eugenio Scalfari no La Repubblica, foi ao ponto de comparar os Estados Unidos com a Coreia do Norte, sugerindo que ambos fazem parte de alian√ßas com uma "vis√£o distorcida do mundo".

Assim, agora tamb√©m temos o Papa Francisco e o Vaticano, atrav√©s da Civilt√† Cattolica e do La Repubblica, a indicar que se juntam aos l√≠deres do G20, √† ONU, aos Democratas e √† extrema esquerda na sua guerra contra a administra√ß√£o Trump. E claro que tamb√©m se trata de uma guerra contra os milh√Ķes de cat√≥licos fieis e outros crist√£os que t√™m vindo a apoiar e a aconselhar o Presidente e a rezar pela continua√ß√£o da sua convers√£o e da sua seguran√ßa f√≠sica.

N√£o tenho qualquer d√ļvida que o artigo da Civilt√† Cattolica foi especialmente inflamado pela espantosa sa√≠da do Presidente do Acordo Clim√°tico de Paris - uma das prioridades m√°ximas do Papa Francisco e dos seus muitos amigos globalistas. O Papa foi mesmo ao ponto de declarar supostas altera√ß√Ķes clim√°ticas causadas pelo homem (e por implica√ß√£o, oposi√ß√£o aos esfor√ßos no combate √†s altera√ß√Ķes clim√°ticas) como sendo um ‚Äúpecado‚ÄĚ ambiental.


As altera√ß√Ķes clim√°ticas s√£o o maior esquema de sempre para implementar a Nova Ordem Mundial

Existem muitas provas de que o movimento das altera√ß√Ķes clim√°ticas √© o esquema mais recente e maior de sempre das elites globalistas para impor uma Nova Ordem Mundial secularista, anti-vida e anti-fam√≠lia com governan√ßa mundial e remo√ß√£o de todas as fronteiras nacionais. Em √ļltima an√°lise, destruiria a maioria dos direitos e liberdades tradicionais e a soberania de pa√≠ses individuais que foram conquistados com grande custo no passado.

√Č prov√°vel que a maioria dos 195 pa√≠ses que assinaram o Acordo de Paris tenham sido intimidados e chantageados para desistirem efetivamente da sua soberania nacional e dos seus preciosos princ√≠pios culturais em resultado de amea√ßas econ√≥micas e de outras amea√ßas das Na√ß√Ķes Unidas, do Presidente Obama e de outros pa√≠ses desenvolvidos ricos.

Por agora Trump já salvou muitos países dos males que a implementação a longo prazo do Acordo teria causado.


Despovoamento mundial √© um objetivo importante da agenda das altera√ß√Ķes clim√°ticas

Um dos principais objetivos dos l√≠deres do movimento das altera√ß√Ķes clim√°ticas √© um eventual programa de despovoamento mundial maci√ßo, como foi dado a entender pela respons√°vel das Na√ß√Ķes Unidas para o clima, Christiana Figueres, numa entrevista em 2015.

Al Gore tamb√©m j√° afirmou repetidamente que a diminui√ß√£o da popula√ß√£o √© necess√°ria. O Professor Hans Joachim Schellnhuber, nomeado membro da Academia Pontif√≠cia das Ci√™ncias pelo Papa Francisco, receia que Trump seja "desastroso" para a agenda do clima. √Č tamb√©m um defensor ac√©rrimo do despovoamento mundial e afirma sem pruridos que a ‚Äúestimativa cient√≠fica para a capacidade de carga do planeta √© inferior a mil milh√Ķes de pessoas‚ÄĚ.

Travis Rieder da Universidade Johns Hopkins advertiu que as pessoas t√™m de parar de ter tantos filhos se quiserem evitar ‚Äúaltera√ß√Ķes clim√°ticas catastr√≥ficas‚ÄĚ. O pai de todo o movimento ecol√≥gico/aquecimento global/altera√ß√Ķes clim√°ticas, Maurice Strong, organizou a primeira confer√™ncia da ONU sobre o ambiente em Estocolmo em 1972. No seu discurso inaugural, deu a entender a necessidade de ‚Äúpol√≠ticas demogr√°ficas nacionais‚ÄĚ.

Imediatamente antes de comparecer como convidado na recente confer√™ncia do Vaticano sobre Extin√ß√£o Biol√≥gica, o apoiante do movimento das altera√ß√Ķes clim√°ticas e extremista do despovoamento Paul Ehrlich afirmou que uma redu√ß√£o de 6 mil milh√Ķes da popula√ß√£o mundial ‚Äúteria um efeito pr√≥-vida em termos gerais‚ÄĚ.

Hoje, o LifeSite relata um novo estudo publicado na Environmental Research Letters defendendo que os ‚Äúgovernos e as escolas deviam estar a ensinar aos mi√ļdos a terem menos filhos para reduzir as altera√ß√Ķes clim√°ticas‚ÄĚ.

Lianne Laurence escreve: “Steven Mosher, presidente do Population Research Institute sediado na Virgínia, atacou a sugestão como 'ridícula' e 'perigosa', e o estudo como 'extremismo climático disfarçado de ciência'."

Podia continuar a citar mais afirma√ß√Ķes de l√≠deres da agenda das altera√ß√Ķes clim√°ticas defendendo que a popula√ß√£o do mundo tem de ser drasticamente reduzida.


Um movimento necessariamente totalit√°rio

Para fazer o que estas pessoas dizem que precisa de ser feito, teriam de ser impostas aos pa√≠ses medidas totalit√°rias dr√°sticas e um governo mundial. Um elevado n√ļmero de pessoas teriam de ser esterilizadas √† for√ßa e/ou em segredo, conceber um filho necessitaria de uma licen√ßa especial, a religi√£o teria de ser neutralizada e as culturas pr√≥-fam√≠lia destru√≠das. A eutan√°sia teria de ser aumentada para n√≠veis inimagin√°veis nesta altura. Teriam de ser arranjadas guerras com um elevado n√ļmero de v√≠timas. N√£o h√° outra forma de conseguir fazer uma tal redu√ß√£o mundial da popula√ß√£o.

Os ide√≥logos das altera√ß√Ķes clim√°ticas/despovoamento mundial s√£o um perigo para toda a gente uma vez que n√£o t√™m considera√ß√£o pela dignidade e valor inerentes a todas as vidas humanas e n√£o t√™m considera√ß√£o pelos direitos humanos naturais concedidos por Deus e pelas liberdades que foram conquistadas atrav√©s de s√©culos de grandes lutas. Em √ļltima an√°lise, n√£o acreditam em Deus. Para eles, o homem √© deus, ou melhor, os homens e mulheres da elite escolhida s√£o deuses.

Uma mudan√ßa for√ßada de toda a economia mundial √© outro objetivo das elites das altera√ß√Ķes clim√°ticas. A respons√°vel das Na√ß√Ķes Unidas para o clima, Christiana Figueras, admitiu tamb√©m que o objetivo dos ativistas ambientalistas n√£o √© salvar o mundo da calamidade ecol√≥gica mas destruir o capitalismo ‚Äď e provocar a redistribui√ß√£o for√ßada da riqueza dos pa√≠ses bem sucedidos aos pa√≠ses mais pobres. N√£o vos parece que j√° ouviram falar disto? Alguma vez teve √™xito?

Considerando tudo o que acima foi dito, n√£o espanta que as elites por tr√°s deste movimento estejam a come√ßar a defender seriamente san√ß√Ķes penais para os c√©ticos sobre as altera√ß√Ķes clim√°ticas, para al√©m das j√° numerosas carreiras destru√≠das de cientistas e outros profissionais que ousaram desafiar o falso ‚Äúconsenso‚ÄĚ. √Č isto que os socialistas fazem e sempre fizeram quando enfrentam resist√™ncia aos seus esquemas loucos.

O Public Discourse relatou um esforço deste tipo num artigo de 15 de outubro:

¬†¬†¬† Numa carta not√°vel ao Presidente Obama, vinte cientistas do clima pediram uma investiga√ß√£o ao abrigo da RICO (Lei relativa √†s organiza√ß√Ķes influenciadas pela extors√£o e pela corrup√ß√£o) √†s ‚Äúempresas e outras organiza√ß√Ķes que enganaram conscientemente o povo americano sobre os riscos das altera√ß√Ķes clim√°ticas‚ÄĚ. Apoiam a sua posi√ß√£o afirmando que ‚Äúuma esmagadora maioria de cientistas do clima est√£o convencidos sobre os efeitos adversos potencialmente graves das altera√ß√Ķes clim√°ticas induzidas pelo homem na sa√ļde humana, na agricultura e na biodiversidade.

A American Thinker relata algumas das piores previs√Ķes dos "charlat√£es" do excesso de popula√ß√£o/altera√ß√Ķes clim√°ticas causadas pelo homem:

¬†¬†¬† Por ocasi√£o do primeiro Dia da Terra em 1970, o bi√≥logo George Wald, de Harvard, garantiu-nos que a civiliza√ß√£o acabaria "dentro de 15 ou 30 anos". O antigo conselheiro cient√≠fico de Obama, John Holdren, escreveu num livro sobre ecologia global em 1971 que mil milh√Ķes morreriam devido a situa√ß√Ķes de fome at√© 2020 devido a uma "nova idade do gelo". O Senador Gaylord Nelson previu em 1970 que, dentro de 25 anos, entre 75% e 80% de todos os animais estariam extintos. O especialista em popula√ß√£o e autor do bestseller "A Bomba Populacional", Paul Ehrlich, afirmou que at√© ao ano 2000 a Inglaterra deixaria de existir. O Clube de Roma afirmou em 1972 que o mundo ficaria sem petr√≥leo at√© 2003. Em vez disso, as reservas (em 2016) foram estimadas em 1707 mil milh√Ķes de barris, as mais elevadas de sempre.

Todos n√≥s temos uma grande d√≠vida de gratid√£o para com o Presidente Trump. Devemos rezar constantemente por ele e pela sua administra√ß√£o, bem como apoiar e incentivar os esfor√ßos para garantir que este movimento diab√≥lico das altera√ß√Ķes clim√°ticas seja terminado. Devemos rezar para que Trump continue a resistir aos alarmistas do clima que p√Ķem em perigo a maior parte daquilo em que ele e n√≥s mais acreditamos.

O Presidente Trump e os Estados Unidos irão continuar a estar sujeitos a uma enorme pressão para aderirem. E haverá ameaças aos Estados Unidos e, possivelmente, ameaças pessoais a Trump e aos que o rodeiam. A oração deverá ser a nossa prioridade máxima contra essas forças poderosas - para proteger o Presidente e os seus principais líderes e para maior crescimento pessoal, sabedoria e compreensão do Presidente e dos que o rodeiam.

Ao mesmo tempo, devemos apoiar todas as medidas legítimas e éticas que respeitam o ser humano para manter e apoiar um ambiente saudável sem poluição para que todos possam usufruir e beneficiar das maravilhosas dádivas da natureza de Deus. Os conservadores nunca foram contra isso e têm inclinação para serem os verdadeiros líderes no que diz respeito a apreciar e proteger as dádivas da natureza.


A parte 4 não será tão positiva sobre a administração Trump

A parte 4 desta s√©rie n√£o ser√° assim t√£o positiva sobre a administra√ß√£o Trump. Dir√° respeito √† resposta do Presidente √†s quest√Ķes dos homossexuais, dos transexuais e das liberdades religiosas. O Presidente n√£o est√° a cumprir as suas promessas sobre estas quest√Ķes e n√£o est√° a perceber os danos severos que est√£o a ser causados √† fam√≠lia e √† cultura e institui√ß√Ķes americanas devido ao que se est√° a permitir que aconte√ßa relativamente a estas quest√Ķes. Promover a comunidade LGBT, etc. e suprimir as cren√ßas religiosas tradicionais sobre moralidade sexual tamb√©m faz parte da restrutura√ß√£o for√ßada da sociedade da Nova Ordem Mundial e √© um perigo para a liberdade e a boa ordem.

17 de julho de 2017 (LifeSiteNews)

https://www.lifesitenews.com/blogs/trump-has-saved-entire-world-from-devastations-of-globalist-paris-climate-a










Fonte: http://www.blogtok.com/saidas.php?link=http://acordem.com/blog/32645/

Daniel Hannan MPE educa Natalie Bennett sobre a UE - 20Jan2018 23:25:09



Falemos um pouco sobre isso porque,... n√£o fica preocupado que, hum, que se for bem sucedido, se o n√£o vencer, hum, o Cameron vai ficar queimado?

Bem, quer dizer, a questão política sempre foi a que menos me interessou nos dezasseis anos que tenho andado nisto, sobre se algo é benéfico para um determinado indivíduo, e se o vai ajudar a... Este assunto é tão mais importante! Do que quem é o Primeiro Ministro, ou quem é o líder do partido, este assunto é sobre se somos um país autónomo, a operar debaixo das suas próprias leis, capaz de contratar e demitir as pessoas que passam essas leis, ou se caso contrário somos parte de uma grande entidade burocrática governada por pessoas que ninguém elegeu, onde o poder supremo está nas mãos de pessoas invulneráveis à urna de voto.

Esta é uma questão que está finalmente a ser colocada, depois de mais de quarenta anos,
e francamente, no que diz respeito a quem vai ser o próximo líder do Partido dos Tory, ou se o que está agora pode, uh, sabe, tudo isso é secundário ao processo democrático de base...

 



Fonte: http://www.blogtok.com/saidas.php?link=http://acordem.com/blog/32644/

Estudiosos Catůlicos Corrigem o Papa Francisco - 20Jan2018 23:25:09

 

Estudiosos, teólogos, e sacerdotes em todo o mundo emitiram uma retificação filial de 25 páginas dirigida ao Papa Francisco.

Ao expressar "profunda mágoa" e "devoção filial," eles acusam o Papa de estar a "propagar heresias."

Emitimos esta correção para proteger os nossos companheiros católicos... na esperança de prevenir a disseminação de doutrinas que tendem à subversão da Lei de Deus. Correctio Filialis

A correção foi entregue ao Papa na sua residência de Santa Marta no dia 11 de Agosto.
Mas ele n√£o respondeu √† carta. E por isso tornaram-na p√ļblica... e est√£o √† procura de apoio dos cat√≥licos para defender a f√©.

Somos obrigados a enviar a corre√ß√£o a Sua Santidade por causa da propaga√ß√£o de heresias causada pela exorta√ß√£o apost√≥lica Amoris Laeticia e por outras palavras, atos e omiss√Ķes de Sua Santidade... - Correctio Filialis

Desde o século 14 que não acontecia algo assim.
O apoio à "correção filial" está a aumentar.

Junta a tua voz.

Assina a petição: bit.ly/correctionsupport

Partilha este vídeo para passar a palavra!









Fonte: http://www.blogtok.com/saidas.php?link=http://acordem.com/blog/32628/

MemorŠvel Discurso de 6 Minutos De Daniel Hannan Sobre o Brexit - 20Jan2018 23:25:09

 


E o terceiro orador desta noite, a favor da proposta de sair, por favor recebam o conservador, membro do Parlamento Europeu, Daniel Hannan.

Senhoras e senhores, convido-vos a tornar-me desnecess√°rio e, j√° agora, a tornar o Nigel desnecess√°rio tamb√©m, e n√£o estaria a fazer esse convite se n√£o estivesse convencido de que v√£o haver coloca√ß√Ķes em abund√Ęncia, para membros do Parlamento rec√©m- desempregados, no aumento de prosperidade que vai chegar a este pa√≠s quando sairmos da Uni√£o Europeia.

E digo-vos porque estou tão confiante sobre esta predição; se usasse uma palavra apenas, seria, obsoleta. Acabámos de escutar o Chuka dizer que estes não são os anos 50; ele disse isso como se estivesse a transmitir uma visão original. Com certeza! Não estamos nos anos 50 e é por essa razão que ultrapassámos uma construção dirigista de cima para baixo, a ressaca de uma era em que os custos de transporte eram altos, e a refrigeração dispendiosa, e os blocos regionais de comércio pareciam coisa do futuro;

mas meus amigos esse mundo tornou-se completamente obsoleto com o avan√ßo tecnol√≥gico. Esta √© a era da internet, dos voos de baixo custo, do Skype, √© t√£o f√°cil negociar com uma firma na Nova Zel√Ęndia como com uma firma em Fran√ßa, de facto √© at√© mais f√°cil, porque a firma kiwi falar√° Ingl√™s e ter√° leis comuns; nunca a proximidade geogr√°fica foi t√£o irrelevante como agora, ent√£o porqu√™? Porque √© que nos prendemos √† parte do mundo que n√£o est√° a passar por significativo crescimento econ√≥mico?

Acordos de comércio
Durante os √ļltimos dez anos, a economia chinesa cresceu para o dobro, a economia da √ćndia duplicou em tamanho, a economia da Eti√≥pia duplicou em tamanho, mas a zona euro, por incr√≠vel que pare√ßa, no final do ano passado estava igual a 2006! Cada continente neste planeta cresceu nesta d√©cada passada excepto a Ant√°rtica e a Europa! N√≥s somos um povo que faz com√©rcio, somos um povo ligado ao mar, um povo ligado por la√ßos de idioma e leis, por h√°bitos e hist√≥ria, por com√©rcio e migra√ß√£o, para todo o continente e arquip√©lago. N√£o temos grandes recursos naturais aqui; temos que avan√ßar no mundo por aquilo que compramos e vendemos, isso significa que temos de estar onde est√£o os clientes, e enquanto estivermos na Uni√£o Europeia n√£o podemos assinar acordos de com√©rcio independentes com os pa√≠ses fora da UE.

O acordo da UE com a Austrália tem estado suspenso porque alguns produtores de tomate italianos estão presentemente a contestá-lo; o acordo da UE com o Canadá está parado por causa de uma disputa sobre vistos romenos, sem qualquer relacionamento., Como é que nos deixámos colocar numa posição em que não podemos realizar esses acordos? A Liz citou alguns dos grandes organismos quasi-autónomos internacionais e homens de Davos, que nos dizem ser do nosso interesse ficar, ela disse que não há nada para o simples cidadão.

Sal√°rios mais altos
Deixem que vos cite um par de indiv√≠duos que s√£o l√≠deres da campanha do ficar: Paddy Ashdown diz que se sairmos isso significar√° alimentos mais baratos; e o Lord Rose diz que se sairmos isso significar√° sal√°rios mais altos, ora eu penso que se a Liz estivesse realmente interessada nos interesses da classe trabalhadora da qual ela se diz porta-voz, deveria ter mais considera√ß√£o por essas opini√Ķes do que os brados das organiza√ß√Ķes internacionais quasi-aut√≥nomas com estrela Michelin, que n√£o pagam impostos e que ela v√™ como sendo os √°rbitros do nosso interesse nacional.

Custo económico
Porque √© que estamos a pagar para pertencer √† √ļnica uni√£o alfandeg√°ria mundial estagnada, a pagar dezanove mil milh√Ķes de libras brutas, onze mil milh√Ķes de libras l√≠quidas cada ano, certo, para colocar isto em contexto, no ano passado, acab√°mos de ouvir acerca dos, voc√™s sabem os deputados do Partido Trabalhista estavam contra todas estas alian√ßas, ah, redu√ß√Ķes, no √ļltimo parlamento, o parlamento de 2010 a 2015, de acordo com o IEF (Instituto de Estudos Fiscais), todo o programa de austeridade conseguiu poupar trinta e cinco mil milh√Ķes de libras.

Durante o período desse mesmo parlamento, a nossa contribuição bruta à UE foi de
oitenta e cinco mil milh√Ķes de libras, a nossa contribui√ß√£o l√≠quida foi de quarenta e dois mil milh√Ķes de libras; ent√£o, mesmo que insistam em considerar o valor l√≠quido, essa retirada l√≠quida teria dado conta de todo o programa de austeridade e ainda haveria saldo suficiente para diminuir um centavo ao imposto sobre rendimentos.

Preço democrático
Mas o pre√ßo n√£o √© apenas financeiro, existe tamb√©m um pre√ßo democr√°tico. Combatemos uma guerra civil neste pa√≠s para implantar o princ√≠pio de que as leis n√£o deveriam ser passadas nem os impostos aumentados, excepto pelos nossos pr√≥prios representantes eleitos. E agora, o supremo poder legislativo e executivo est√° nas m√£os, n√£o apenas de pessoas as quais n√£o foram eleitas por v√≥s mas pessoas que, ah, pessoas que geralmente s√£o colocadas nesses cargos, ap√≥s terem perdido as elei√ß√Ķes! Tais como Peter Mandelson, e o Neil Kinnock e agora o Jackson, os √ļnicos que foram expressamente rejeitados pelo seu eleitorados√£o convidados a ir e legislar para n√≥s de qualquer maneira.

Se a UE fosse sobre cooperação, se fosse como a NATO e todas as coisas que o Chuck estava a dizer, ninguém teria problema com isso, certo? Era preciso ser-se doido para estar contra a ideia de trabalhar com os países vizinhos. Podemos tomar como certo que todos nós nesta plataforma e todos vocês nesta sala são a favor de cooperar com os nossos vizinhos imediatos e aliados? O problema está na presunção de querer legislar para nós, que quer tomar para si atributos e autoridade de estado.

Isolacionismo?
Ningu√©m est√° a falar, quer dizer, Nick, ningu√©m est√° a falar em descartar clich√©s, fechar pontes e lan√ßar fora as chaves, ningu√©m est√° a falar de isolacionismo! Em mais nenhum lugar do mundo os pa√≠ses t√™m de pedir licen√ßa para viver debaixo das suas pr√≥prias leis, n√£o √© verdade? A Nova Zel√Ęndia n√£o est√° em vias de se juntar √† Austr√°lia, e n√£o vamos por a√≠ a dizer, √≥ estes deplor√°veis austro c√©ticos, quando √© que eles v√£o perceber que s√£o apenas uma pequena ilha costeira, agarrada a no√ß√Ķes antiquadas de soberania, certo? Jap√£o!, N√£o est√° em vias de se juntar √† China!, tanto quanto sei, e as pessoas n√£o dizem, √≥, estes sino c√©ticos preconceituosos, quando √© que eles v√£o meter nas suas cabe√ßas que perderam o seu imp√©rio, √© uma coisa naturalmente saud√°vel! Para uma democracia viver debaixo das suas pr√≥prias leis, enquanto negoceiam e cooperam com cada um dos outros pa√≠ses no mundo!

Nós somos a quinta maior economia do planeta, com o quarto maior poder militar, nós somos um dos cinco membros do Conselho de Segurança, quão maiores temos que ser antes de termos a confiança de levantar os nossos olhos para horizontes mais distantes e redescobrir aquela vocação global que em tempo considerávamos assegurada?

Daniel Hannan!








Fonte: http://www.blogtok.com/saidas.php?link=http://acordem.com/blog/32625/

Fumo dos incÍndios em Portugal deixa Londres em tons laranja - 20Jan2018 23:25:09

171016112124_02_london_orange_sky_ophelia_1016_exlarge_169.jpg

O céu tornou-se laranja em partes do Reino Unido na segunda-feira devido ao pó e ao fumo dos incêndios no sul da Europa serem levados para o norte. A tonalidade avermelhada foi um efeito colateral dos restos do furacão Ophelia e dos incêndios florestais que têm estado a fustigar Portugal e o noroeste da Espanha desde a sexta-feira.


https://www.jn.pt/mundo/videos/interior/fumo-dos-incendios-em-portugal-deixa-londres-em-tons-laranja-8848843.html?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed%3A+JN-ULTIMAS+%28JN+-+Ultimas%29








Fonte: http://www.blogtok.com/saidas.php?link=http://acordem.com/blog/32623/

ConferÍncia Internacional sobre o Controle da PopulaÁ„o - 20Jan2018 23:25:09

Int_Conf_Pop_Control_P.jpg


2.423 pessoas j√° se inscreveram para participar deste evento on-line ... e o n√ļmero est√° a crescer de forma constante e r√°pida!

Ajude a espalhar a palavra!

Não é tarde demais para convidar todos os católicos que você conhece para se juntar a este importante evento online, onde você vai aprender

¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬† ‚ÄĘ As identidades dos extremistas do controle populacional que est√£o a
                 financiar e a liderar a subversão da Igreja.

¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬† ‚ÄĘ Como a redu√ß√£o da popula√ß√£o - incluindo aborto, esteriliza√ß√£o for√ßada
                 e distribuição de preservativos está a ser disfarçada secretamente como
                 redução da pobreza.

¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬† ‚ÄĘ As implica√ß√Ķes devastadoras que esta subvers√£o ter√° para a humanidade,
                 se não for parada.

¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬† ‚ÄĘ Como voc√™ pode ajudar a proteger a Igreja Cat√≥lica destes ataques internos.

http://populationconference.com/?bblinkid=63917127&bbemailid=5304284&bbejrid=395398877











Fonte: http://www.blogtok.com/saidas.php?link=http://acordem.com/blog/32619/

Governo chinÍs proŪbe crianÁas de frequentar serviÁos religiosos - 20Jan2018 23:25:09

shutterstock_14364187_810_500_55_s_c1.jpg

As autoridades comunistas da China estão a reprimir o cristianismo, informando mais de uma centena de igrejas cristãs que as crianças estão agora proibidas de comparecer aos cultos e juntar-se a grupos cristãos.

Em agosto, mais de uma centena de igrejas em Wenzhou, na província de Zhejiang, zona de grande presença cristã, receberam "avisos" oficiais de que as crianças serão proibidas de entrar em qualquer igreja. Os líderes da Igreja foram informados de que os menores seriam recusados nas portas, mesmo que acompanhados por seus pais.

Os avisos ameaçam os cristãos apanhados a levar os seus filhos aos serviços, afirmando que "serão tratados severamente".

As autoridades chinesas afirmam que a frequ√™ncia √† igreja dificulta os menores de "desenvolver(em) uma vis√£o do mundo e um conjunto de valores corretos". Menores que recebem educa√ß√£o e forma√ß√£o religiosa muito cedo nas igrejas afetariam seriamente a implementa√ß√£o normal do sistema educacional", explicou o aviso do distrito de Ouhai. Funcion√°rios alertaram que os inspetores do governo "levar√£o a cabo investiga√ß√Ķes abertas ou sob disfarce" aos domingos, tanto nas igrejas sancionadas pelo estado como nas congrega√ß√Ķes clandestinas, para impor a proibi√ß√£o.

Tamb√©m houve ataques √† escola dominical", disse um pastor ao Vision Times. "√Č muito grave ... Isso √© muito desrespeitoso dos direitos humanos, e somos firmemente antagonizados ... Realmente n√£o sabemos porque as autoridades est√£o a fazer isto". Em junho, a capital do Hunan, Changsha, organizou uma reuni√£o de "emerg√™ncia" para "estabilizar" as escolas chinesas. O diretor do Departamento de Educa√ß√£o, Liang Guochao, disse que o governo vai "impedir que as religi√Ķes se infiltrem nas escolas e vai orientar os alunos a resistirem conscientemente aos cultos religiosos".

Al√©m de proibir as crian√ßas de participar no servi√ßo da igreja, a nova repress√£o tamb√©m pro√≠be os menores de se juntarem a qualquer grupo crist√£o, participar de atividades religiosas e ouvir serm√Ķes.

Os professores nas escolas também são banidos do comparecimento na igreja. O distrito de Yonglin instruiu as escolas de que "as autoridades superiores proíbem estritamente todos os professores, estudantes e crianças do ensino secundário e primário de se juntarem a igrejas católicas ou protestantes".

"A China est√° no meio de um renascimento religioso, e o governo atual parece preocupado que a religi√£o possa ser um meio pelo qual os valores estrangeiros possam "penetrar" na China e, em √ļltima an√°lise, afetar" o status quo comunista, explicou William Nee da Amnistia Internacional, em refer√™ncia √† interdi√ß√£o.

"Nesta altura, não está claro quão generalizada está a proibição das crianças assistirem aos cultos na China, mas estes relatórios alarmantes parecem estar a chegar de áreas bastante diversas em todo o país", advertiu Nee.

As autoridades comunistas também ordenaram que os cristãos não podem mais realizar acampamentos de verão para crianças.

"Maria", uma mãe católica, explicou como um acampamento da igreja na diocese de Bameng de Wuhai foi encerrado. "Uma oficial perguntou aos leigos sobre o acampamento de verão sem revelar a sua identidade, mas disse que gostaria que o seu filho também participasse. Os católicos não sabiam que era uma armadilha e contaram-lhe todos os detalhes", disse ela. "Oficiais então questionaram o sacerdote ... e obrigaram-no a dissolver o campo".

"Mesmo que eles não tenham permissão para ir à igreja, nós pais podemos transmitir a nossa crença religiosa aos nossos filhos em casa", disse ela. Informou que muitas crianças participaram da procissão para a festa da Assunção de Maria em 15 de agosto.

A perseguição contra os cristãos na China tornou-se mais intensa em 2014 quando o governo proibiu as cruzes em Zhejiang. Em 2016, o plano de erradicar o cristianismo tornou-se oficial e descarado. O líder chinês Xi Jinping iniciou uma campanha formal para "achinesar" (fazer mais chinesa) a religião pela imposição do ateísmo em todo o país.

ZHEJIANG, China, 11 de setembro de 2017 (LifeSiteNews)

https://www.lifesitenews.com/news/chinese-govt-bans-kids-from-attending-church-service





Fonte: http://www.blogtok.com/saidas.php?link=http://acordem.com/blog/32616/

O Isl„o ďamigo-da-famŪliaĒ chega ŗ Europa - 20Jan2018 23:25:09

Muslims_at_prayer_810_500_55_s_c1.jpg

‚ÄúSe quiserem ver a face da Europa daqui a 100 anos, salvo um milagre, olhem para as faces dos jovens imigrantes mu√ßulmanos.‚ÄĚ Quem o disse foi o Arcebispo de Filad√©lfia, Charles Chaput, numa confer√™ncia recente no Napa Institute.
 
‚ÄúO Isl√£o tem futuro porque o Isl√£o acredita em filhos‚ÄĚ, afirmou ele. ‚ÄúSem uma f√© transcendente que fa√ßa com que a vida valha a pena ser vivida, n√£o h√° raz√£o para ter filhos‚ÄĚ.
 
Vamos deter-nos aqui um pouco para uma pequena an√°lise. A primeira coisa que merece ser examinada √© o prazo. Daqui a cem anos √© 2117. A maioria de n√≥s j√° c√° n√£o estar√°, pelo que para muitos este assunto parecer√° menos urgente do que, talvez, o Arcebispo Chaput gostaria que fosse. Uma s√©rie de observadores do cen√°rio europeu ‚ÄĒ Thilo Sarrazin, Douglas Murray, Bruce Bawer e Mark Steyn ‚ÄĒ estimam que grandes partes da Europa sejam isl√Ęmicas dentro de tr√™s ou quatro d√©cadas. E se ao vaguear entrassem por engano nas zonas n√£o recomend√°veis que rodeiam Paris, pensariam que as ‚Äúfaces dos jovens imigrantes mu√ßulmanos‚ÄĚ j√° s√£o a face da Europa.
 
Prazos aparte, o Arcebispo Chaput est√° basicamente certo quanto ao rumo que a Europa est√° a seguir. E ele tem raz√£o quando diz que muita da culpa √© de todos aqueles europeus que est√£o relutantes em ter filhos. A Europa est√° a morrer, diz ele, porque n√£o h√° europeus em n√ļmero suficiente que apostem no futuro.
 
Alguns dos aspetos que ele foca, contudo, poder√£o ser mal interpretados. E devido ao atual clima na Igreja, muitos cat√≥licos poder√£o tirar as conclus√Ķes erradas das suas observa√ß√Ķes. ‚ÄúO Isl√£o tem futuro porque o Isl√£o acredita em filhos‚ÄĚ, afirma ele. Al√©m disso, ‚Äúsem uma f√© transcendente que fa√ßa com que a vida valha a pena ser vivida, n√£o h√° raz√£o para ter filhos‚ÄĚ.
 
O erro ‚ÄĒ o erro fatal, efetivamente ‚ÄĒ que muitos cat√≥licos fazem √© um pressuposto duplo: primeiro, que os mu√ßulmanos acreditam em filhos da mesma forma que os cat√≥licos; e, segundo, que a ‚Äúf√© transcendente‚ÄĚ dos mu√ßulmanos √© semelhante √† f√© transcendente dos cat√≥licos. De facto, desde o Vaticano II, os cat√≥licos t√™m vindo a ser bombardeados com a ideia de que o Isl√£o e o Catolicismo t√™m muito em comum. Por exemplo, o documento Nostra Aetate do Vaticano II real√ßa as semelhan√ßas entre as duas f√©s e escamoteia as diferen√ßas.
 
Mas se assim √© ‚ÄĒ se os mu√ßulmanos partilham mais ou menos a mesma vis√£o sobre filhos e transcend√™ncia dos cat√≥licos ‚ÄĒ ent√£o n√£o h√° necessidade de nos preocuparmos demasiado sobre o futuro da Europa. At√© seria poss√≠vel argumentar que a Europa estaria melhor nas m√£os de um povo temente a Deus, cheio de f√© e centrado na fam√≠lia do que nas m√£os dos secularistas p√≥s-crist√£os que atualmente det√™m o poder.
 
N√£o acho que seja isso que o Arcebispo Chaput pensava. Noutra parte da sua conversa, ele diz aos jovens para ‚Äúse amarem, casarem, manterem-se fieis um ao outro, terem muitos filhos e educarem os seus filhos para serem homens e mulheres de car√°ter crist√£o‚ÄĚ. Mesmo assim, para um cat√≥lico com uma certa mentalidade universalista, palavras como ‚Äúcar√°ter crist√£o‚ÄĚ e ‚Äúcar√°ter isl√Ęmico‚ÄĚ s√£o praticamente intermut√°veis, o mesmo se aplicando a termos como ‚Äúvalores de fam√≠lia crist√£os‚ÄĚ e ‚Äúvalores de fam√≠lia mu√ßulmanos‚ÄĚ. Assim, por uma quest√£o de clareza, vamos analisar mais atentamente os valores de fam√≠lia isl√Ęmicos e testar a tese da semelhan√ßa.
 
Um bom ponto para come√ßar √© o novo livro de Nonie Darwish, "Wholly Different", um exame dos valores crist√£os e dos valores isl√Ęmicos. Darwish viveu durante trinta anos no Egito antes de vir para a Am√©rica e de se converter, eventualmente, ao Cristianismo. Assim, para parafrasear a can√ß√£o de Joni Mitchell, ‚Äúela j√° examinou a f√© de ambos os lados‚ÄĚ.
Imagem
 
Darwish confirma que o ‚ÄúIsl√£o acredita em filhos‚ÄĚ, mas n√£o, como ela observa, pelo mesmo motivo que os crist√£os acreditam em filhos. ‚ÄúNo Isl√£o‚ÄĚ, escreve ela, ‚Äúdepois de acreditar em Al√°, a prioridade n√ļmero um para um crente mu√ßulmano n√£o √© a fam√≠lia; √© a jihad‚ÄĚ. Assim, ‚Äúem v√°rios hadiths, Maom√© real√ßou que os seus combatentes deviam ‚Äėcasar com mulheres que sejam prol√≠ficas‚Äô para que os mu√ßulmanos ultrapassem em n√ļmero os seus inimigos‚ÄĚ.
 

Wholly_Different_444_680_55.jpg


Outros l√≠deres mu√ßulmanos disseram coisas semelhantes. O presidente da OLP, Yasser Arafat, vangloriou-se de que ‚Äúo √ļtero da mulher √°rabe √© a minha arma mais forte‚ÄĚ. O Ayatollah Khomeini era da mesma opini√£o. ‚ÄúUm regime isl√Ęmico tem de ser s√©rio em todos os dom√≠nios‚ÄĚ, afirmou ele, ‚Äú‚Ķincluindo o dom√≠nio da reprodu√ß√£o. Mais mu√ßulmanos significa mais poder. Mais mu√ßulmanos significa mais soldados." Khomeini praticava o que pregava e durante a sua guerra com o Iraque sacrificou as vidas de dezenas de milhares de crian√ßas-soldados, chegando mesmo a utiliz√°-las para limpar campos de minas com os seus corpos.
 
A vis√£o crist√£ das crian√ßas √© que elas s√£o preciosas aos olhos de Deus ‚ÄĒ importantes em si mesmas e n√£o apenas como carne para canh√Ķes e minas inimigas. A vis√£o isl√Ęmica, pelo contr√°rio, √© utilit√°ria. As crian√ßas s√£o importantes porque servem a jihad. Estou a dizer que todos os mu√ßulmanos pensam desta maneira? Claro que n√£o. Mas observar que muitos mu√ßulmanos conseguem colocar-se acima desta vis√£o limitada dos seus descendentes n√£o prova nada sobre o Isl√£o, diz-nos simplesmente que os mu√ßulmanos s√£o humanos.
 
O amor não está ausente nas famílias muçulmanas, mas, segundo Darwish, a honra da família é um valor muito mais importante do que o amor. Uma filha muçulmana que não se vista de forma apropriada ou que mantenha a companhia errada arrisca-se a ser espancada ou mesmo morta pelo pecado de lançar vergonha sobre a honra da família. Uma esposa ou mãe muçulmana corre o mesmo risco. No filme "O apedrejamento de Soraya M", baseado numa história verdadeira, é o pai e os filhos que atiram as primeiras pedras.



The_Stoning_of_Soraya_M_645_412_55.jpg

Cena do filme "O apedrejamento de Soraya M"
 

Inversamente, um rapaz ou rapariga mu√ßulmanos que sejam mu√ßulmanos cumpridores trazem honra para a fam√≠lia. Infelizmente, de acordo com Darwish, o ato de adora√ß√£o mais sagrado do Isl√£o √© o mart√≠rio jihadista. Em conformidade, existe um forte incentivo para que uma fam√≠lia mu√ßulmana eduque um m√°rtir porque o seu sacrif√≠cio contribuir√° largamente para a honra da fam√≠lia. Tal ajuda a explicar a propens√£o palestiniana para treinar as crian√ßas no sentido de que o mart√≠rio (alcan√ßado de prefer√™ncia matando judeus) √© o apelo mais elevado da vida. ‚ÄúO meu filho bombista suicida‚ÄĚ √© o equivalente palestiniano de ‚Äúo meu filho m√©dico‚ÄĚ.
 
Assim, poder√° n√£o ser sensato para os cat√≥licos sentirem-se confortados com a afirma√ß√£o de Chaput de que ‚Äúo Isl√£o tem futuro porque o Isl√£o acredita em filhos‚ÄĚ. O Isl√£o tamb√©m acredita que uma das formas mais seguras de alcan√ßar o para√≠so consiste em ceifar as vidas dos infi√©is. Quando a m√£e de Omar al-Abed, de 19 anos, soube que o filho tinha morto tr√™s membros de uma fam√≠lia israelita e ferido um quarto, exclamou: ‚ÄúLouvado seja Al√°. Estou orgulhosa do meu filho. Que Al√° esteja satisfeito com ele.‚ÄĚ
 
Se está tentado a pensar que isto é uma aberração, considere que a mãe de Omar tem um motivo adicional para estar orgulhosa do filho. Tal como disse um escritor:
 
¬†¬†¬† Ao abrigo do programa da Autoridade Palestiniana para pagar a quem comete ataques terroristas ‚ÄĒ por vezes designado programa ‚ÄúPagar-para-Matar‚ÄĚ‚ÄĒ a fam√≠lia al-Abed ir√°, alegadamente, receber um montante mensal superior a $3.100 do governo palestiniano, a t√≠tulo perp√©tuo, como forma de ‚Äúagradecimento‚ÄĚ pelos assass√≠nios da semana passada.
 
Isto traz-nos de volta ao coment√°rio do Arcebispo Chaput sobre a import√Ęncia de ‚Äúuma f√© transcendente que fa√ßa com que a vida valha a pena ser vivida‚ÄĚ. Todas as f√©s transcendentes s√£o criadas iguais ‚ÄĒ ou h√° grandes diferen√ßas? Pr√°ticas como honrar a viol√™ncia e o programa ‚Äúpagar-para-matar‚ÄĚ sugerem que o Deus transcendente do Isl√£o n√£o √© exatamente a mesma pessoa do que o Deus transcendente dos crist√£os. Para come√ßar, n√£o √© pai. De facto, a ideia de que Deus √© pai √© abomin√°vel para o Isl√£o oficial. E aqueles que dizem que Deus tem um filho s√£o considerados amaldi√ßoados. O problema √© que, se n√£o existe um Pai Celeste, n√£o existe um modelo eterno de miseric√≥rdia, amor e compromisso para os pais terrestres seguirem. Parece que as fam√≠lias disfuncionais s√£o o pre√ßo que os mu√ßulmanos pagam pela vis√£o atenuada que o isl√£o tem do transcendente.
 
No seu pr√≥prio interesse e no interesse dos seus filhos, os cat√≥licos t√™m de ultrapassar a ideia de que o Isl√£o e o Catolicismo partilham os mesmos valores essenciais. O Isl√£o pertence supostamente √† tradi√ß√£o abra√Ęmica da f√©, mas, segundo essa tradi√ß√£o, Deus impediu Abra√£o de sacrificar o seu filho. Mas na tradi√ß√£o isl√Ęmica, os pais podem sacrificar as filhas no interesse da honra da fam√≠lia ou sacrificar os filhos no interesse da jihad ‚ÄĒ tudo com a confian√ßa de que Al√° ficar√° muito satisfeito.
 
E quanto aos filhos e filhas de infi√©is? N√£o espere um futuro brilhante para eles quando ‚Äúas faces dos jovens migrantes mu√ßulmanos‚ÄĚ se tornarem a face da Europa. E n√£o conte que tem cem anos para se preparar para essa transforma√ß√£o facial.
 
Artigo original: edição de 1  Ago 2017 de Crisis e TurningPointProject
 
https://www.lifesitenews.com/opinion/family-friendly-islam-comes-to-europe

 
 
 
 
 



Fonte: http://www.blogtok.com/saidas.php?link=http://acordem.com/blog/32609/

Alemanha: DisseminaÁ„o de DoenÁas Infecciosas ŗ Medida que Migrantes se Instalam - 20Jan2018 23:25:09

Gauck_conversa_com_me__769_dicos_2634_net.jpg

Joachim Gauck, o então presidente da Alemanha, conversa com médicos na enfermaria
de um centro de acolhimento de imigrantes em 26 de agosto de 2015 em
Berlim-Wilmersdorf, Alemanha. (Foto de Jesco Denzel/Bundesregierung da Getty Images)
 

Um novo estudo que acaba de ser divulgado pelo Instituto Robert Koch (IRK), principal institui√ß√£o do governo federal para o monitoramento e preven√ß√£o de doen√ßas, confirma que houve um aumento generalizado de doen√ßas desde 2015, quando a Alemanha acolheu um n√ļmero jamais visto de migrantes.
 



Fonte: http://www.blogtok.com/saidas.php?link=http://acordem.com/blog/32607/

Debate Sobre a UE - A DeclaraÁ„o do Membro do Parlamento Europeu Daniel Hannan - 20Jan2018 23:25:09

 
 


SOCIEDADE DA UNIÃO DE OXFORD - Pessoas Que Moldam O Nosso Mundo
E agora prestem atenção a Daniel Hannan todos vós no colégio, que vai continuar o debate sobre o tema proposto.
 
Senhor Presidente, senhoras e senhores, cada campanha gera os seus lugares comuns, as suas frases banais, os seus clichés e esta não é excepção. E um dos maiores clichés que define esta campanha é, raciocínio versus coração. Mas é claro que os clichés tornam-se clichés por uma razão, e acho que muitos de nós se sente arrastado, visceral ou intelectualmente, eu incluído.
 
Compreendo perfeitamente a atra√ß√£o emocional da Europa. Falo franc√™s, falo espanhol, vivi e trabalhei em quase todo o continente. Tenho estado em Bruxelas dezassete anos, tenho alguns bons amigos l√°, no seio dos eurocratas. √Č claro, por serem eurocratas todos querem que a Europa seja um s√≥ pa√≠s, com um sistema federal e tudo o resto, mas isso n√£o implica que n√£o sejam pessoas decentes, vizinhos am√°veis e amigos leais.
 
Mas n√£o nos podemos guiar apenas pelo cora√ß√£o. Dizer, eu apoio a Uni√£o Europeia porque gosto da Europa, seria como dizer, eu apoio a FIFA porque gosto de futebol. Temos que olhar, n√£o para uma Uni√£o Europeia de fantasia, em que tudo √© paz e colabora√ß√£o entre na√ß√Ķes, mas antes olhar para a que est√° de facto a tomar forma mesmo debaixo dos nossos narizes.
 
Um esquema de extors√£o que, longe de beneficiar os menos abastados, tal como o tesoureiro comentava, em vez disso tira dinheiro das pessoas com rendimento m√©dio e baixo e d√°-o aos mais privilegiados e √†s grandes corpora√ß√Ķes, de facto, se escutarem, esque√ßam o que o lado pr√≥-sair diz, se escutarem o que os apoiantes do ficar est√£o a dizer; Lord Rose disse, de uma forma bem ponderada e contida perante a C√Ęmara dos Comuns, se votarmos para sair os ordenados v√£o aumentar e o Lord Ashdown disse, se votarmos para sair, os pre√ßos da comida v√£o cair.
 
Ora, não consigo ver como é que essas duas coisas poderão ser más, do ponto de vista de alguém com rendimentos baixos. Mas claro, tanto o Lord Ashdown como o Lord Rose consideraram ser estes desenvolvimentos terríveis e não desejáveis.
 
Mega-bancos e multinacionais
Façam esta pergunta a vocês mesmos, porque é que os mega-bancos e as multinacionais estão a encher de dinheiro as campanhas do pró-ficar? Porque é que a Goldman Sachs e a J. P. Morgan, o City Bank e a Morgan Stanley, e todos os outros, estão a apoiar as pessoas que fazem campanha para que não recuperemos a nossa independência?
 
Vou dizer-vos porqu√™! A coisa que mais me surpreendeu quando fui eleito membro do parlamento europeu, foi o quanto estas corpora√ß√Ķes gigantes queriam mais regulamenta√ß√£o! Eu, na minha inoc√™ncia, tinha assumido, tendo sido eleito como conservador, que sendo elas empresas privadas quereriam liberdade de a√ß√£o!
 
Tirei da√≠ logo o sentido na primeira semana em que comecei a minha fun√ß√£o; eles adoram regulamenta√ß√Ķes! Porque eles podem mais facilmente pagar esses custos de conformidade do que os seus concorrentes mais pequenos. Eles capturaram a m√°quina de Bruxelas e usam-na para levantar barreiras a quem quer entrar. Muito boas not√≠cias para o cartel das multinacionais estabelecidas, muito m√°s not√≠cias para o inovador, o neg√≥cio emergente, o empreendedor e √© por isso que a Uni√£o Europeia est√° cada vez mais em decl√≠nio face ao resto do mundo!
 
EU em declínio
No ano em que nos junt√°mos, em 1973, os vinte e oito pa√≠ses que agora comp√Ķem a Uni√£o Europeia, constitu√≠am trinta e seis por cento da economia mundial. No ano passado eram dezassete por cento e a cair. Mas o nosso √© um pa√≠s mar√≠timo, sabem, n√£o temos grandes recursos naturais nesta delicada, verde e h√ļmida ilha que √© o nosso lar; temos que nos firmar no mundo com o que compramos e vendemos, e isso significa que temos que estar onde est√£o os clientes e √© cada vez mais vis√≠vel que os clientes n√£o se encontram na Europa.
 
E √© por isso, n√£o obstante eu me encontrar nessa casta privilegiada de eurocratas com grandes sal√°rios e dedu√ß√Ķes nas despesas, que vos convido a multar-me, um momento, convido-os a multar-me. Eu n√£o estaria a fazer isto, se n√£o estivesse convencido que o pa√≠s, como um todo, venha a tirar benef√≠cios, que a economia, como um todo, venha a crescer depois do Brexit, e espero que depois, eventualmente, haja algum tipo de emprego para mim, na qualidade de Membro do Parlamento Europeu rec√©m-desempregado, talvez at√© a fazer algo um pouco mais √ļtil do que regulamentar toda a gente.
 
Pergunta da audiência
Sim, diga.
 
Voc√™ colocou a quest√£o da Gr√£ Bretanha negociar 50% das suas importa√ß√Ķes e exporta√ß√Ķes atrav√©s da Uni√£o Europeia. Pequenos pa√≠ses na Uni√£o Europeia ainda fazem parte do G-20. Pensa que isso vai mudar?
 
Obrigado!
Bem, vamos ver o que j√° aconteceu, certo? H√° dez anos atr√°s, voc√™ diz 50% do nosso com√©rcio, vamos olhar para os n√ļmeros reais, h√° dez anos a Uni√£o Europeia estava a absorver 50% das exporta√ß√Ķes brit√Ęnicas, no ano passado eram 45%. Onde vamos estar em 2030? Onde √© que esse n√ļmero vai estar em 2050? At√© que ponto temos de baixar antes de abandonarmos esta ideia bizarra de que temos que fundir as nossas institui√ß√Ķes pol√≠ticas com as dos pa√≠ses vizinhos, para depois termos uma voz minorit√°ria sobre padr√Ķes comuns, num bloco em decl√≠nio, no √ļnico bloco mundial em decl√≠nio, certo?
 
Durante os √ļltimos dez anos todos os continentes cresceram, excepto a Ant√°rctica e a Europa, e de facto, se contarmos os navios de cruzeiros ser√° apenas a Europa porque a economia da Ant√°rctica nesse aspeto tem florescido, ent√£o na verdade estamos no lugar errado.
 
A EU é anti-democrática
Ora, porque √© que estou confiante que a vida ser√° melhor se estivermos de fora? Bem, duas coisas. Primeira: democracia. Comparem esta uni√£o, a Uni√£o de Oxford, com a Uni√£o Europeia. As pessoas que tomam decis√Ķes aqui s√£o eleitas, agora, na realidade, estou a aperceber-me que nem sempre s√£o eleitos, t√™m-se tornado um pouco como os eurocratas, no sentido de que manipulam as elei√ß√Ķes. Mas pelo menos em teoria tendes o direito de os afastar, como e quando quiserem, digo isto sem qualquer esp√≠rito depreciativo, o meu tempo aqui foi muito bom, passei um tempo muito bom na Uni√£o, tive uma enorme paix√£o pela bonita bibliotec√°ria em Summerville, fui muito feliz aqui, mas espero que os membros n√£o levem isso a mal se disser que esta Uni√£o n√£o aspira a administrar meio milh√£o de europeus, certo? As suas ambi√ß√Ķes e sua esfera de a√ß√£o s√£o algo¬† limitadas e no entanto, √© democr√°tica.
 
Agora comparem com a Uni√£o Europeia, bem, j√° ouvimos do meu ilustre amigo do Col√©gio Novo o que Jean Claude Juncker pensa da democracia. N√£o pode haver qualquer escolha democr√°tica contra o tratado. Ponderem nestas palavras, n√£o pode haver qualquer escolha democr√°tica contra os acordos europeus. O Dominic levantou a quest√£o que a Comiss√£o Europeia √© antidemocr√°tica; na realidade ele at√© subestimou o assunto. De uma forma in√©dita, engendr√°mos um sistema que √© antidemocr√°tico no sentido em que geralmente s√≥ se chega l√° quando se perdeu as elei√ß√Ķes, ent√£o √© como o Chris Patten ou o Neil Kinnock ou at√© mesmo o Jean Claude Juncker, tem sido apenas quando expressamente rejeitado pelos eleitores, √© que se √© convidado para vir e legislar sobre eles, mesmo assim.
 
Agora deixem-me, deixem-me apresentar o argumento de que a oposi√ß√£o a este sistema n√£o faz de n√≥s anti-europeus, certo? Se a Gr√£-Bretanha fosse governada desta maneira, se f√īssemos governados por 28 comiss√°rios brit√Ęnicos n√£o eleitos, que, como resultado de serem imunes √† opini√£o p√ļblica, imunes √† caixa de voto, viessem depois com falhan√ßos espectaculares tais como a Pol√≠tica Comum das Pescas, o Euro, a Zona Schengen, eu estaria contra isso, a maior parte de voc√™s estaria, mas isso n√£o faria de n√≥s antibrit√Ęnicos, n√£o faria de n√≥s Anglo-c√©ticos, faria de n√≥s democr√°ticos.
 
Pergunta da audiência
Sim, e esta ser√° a √ļltima, diga.
 
(inaudível) Pelo seu paradigma ignorante, o que é que esta conceção abstrata de democracia fez para salvar as pessoas cujos empregos irão agora ser perdidos como resultado da perda de acordos comerciais, perda de emprego e perda de [inaudível]
 
Bem, vou responder, n√£o temos qualquer capacidade de estabelecer acordos independentes de com√©rcio com pa√≠ses fora da Uni√£o Europeia, √© muito importante compreender isso, quando nos juntamos √† Uni√£o Europeia entregamos a Bruxelas 100% do controle sobre as pol√≠ticas de com√©rcio; n√≥s n√£o temos um acordo de com√©rcio com a √ćndia, h√° nove anos que a Uni√£o Europeia tem vindo a discuti-lo para depois o colocar na gaveta, certo?
 
Existir√° algum pa√≠s nesta parte do mundo que poderia ganhar mais com um com√©rcio sem restri√ß√Ķes? A √ćndia √© um pa√≠s que fala o ingl√™s, em termos comerciais claro, existe uma lei comum, certo? Existem 1,4 milh√Ķes de brit√Ęnicos de origem indiana, n√≥s somos o terceiro pa√≠s a investir na √ćndia, a √ćndia √© o terceiro pa√≠s investidor aqui, mas n√£o podemos assinar um acordo de com√©rcio livre porque os trabalhadores t√™xteis italianos n√£o querem concorr√™ncia, e os agricultores franceses n√£o gostam da ideia, n√≥s n√£o temos um acordo de com√©rcio livre com a Austr√°lia! Porqu√™?
 
Tem sido travado por alguns produtores de tomate italianos. Ora, os produtores de tomate italianos talvez tenham raz√£o ou n√£o, n√£o sei o suficiente sobre o caso, mas desde quando √© que √© no interesse do nosso pa√≠s ser impedido de estabelecer com√©rcio a n√≠vel global, de explorar os nossos la√ßos lingu√≠sticos e legisla√ß√£o, cultura e afinidade e migra√ß√£o, que nos une a cada continente e em vez disso ficarmos presos ao √ļnico bloco comercial em decad√™ncia no mundo?!
 
E, a prop√≥sito, pagar pelo privil√©gio de fazer parte?! Ao ritmo de 20 mil milh√Ķes de libras brutas, 10 mil milh√Ķes de libras l√≠quidas por ano. Meus amigos, a Uni√£o Europeia est√° obsoleta, sabem, acab√°mos de ouvir do tesoureiro que houve aqui um debate televisivo famoso em 1975, bem, uma vez que poucos de n√≥s se lembra de 1975, a n√£o ser talvez o lord Haseltine, quando criava a tartaruga roxa e tomava conta do Minist√©rio do Com√©rcio. Posso-vos dizer, 1975 n√£o foi o melhor tempo para este pa√≠s, certo? Semanas de tr√™s dias, pol√≠ticas sobre os pre√ßos e o rendimento, n√≥s est√°vamos no mau caminho; olh√°mos para a Europa e dissemos, estes fulanos est√£o a fazer algo de bom. Podemos dizer o mesmo hoje?
 
Quando olhamos para o outro lado do canal agora, vemos a Uni√£o Europeia em convuls√£o entre as crises na zona Schengen e do Euro. Parece-vos ser um projeto a que dever√≠amos aderir apressadamente, se j√° l√° n√£o estiv√©ssemos, presos pelos interesses estabelecidos e os custos com alguns servidores p√ļblicos, pol√≠ticos e grandes multinacionais?
 
Apelo para votaram para sair
Ent√£o, apelo para que votem para sair, por causa de como o mundo est√° hoje, n√£o como estava nesse tempo, sabem? √Č um cl√°ssico Helen Lovejoy dos Simpson, n√£o √©? Quem vai pensar nas crian√ßas? Bem, digo-vos, eu estou a pensar, e a votar por causa das minhas crian√ßas. Aquela atraente bibliotec√°ria de Summerville, √© agora a m√£e das minhas duas filhinhas, e como v√™m, no seu ventre est√° a desenvolver-se, depois de uma espera, a nossa terceira crian√ßa. Ora, das muitas, das muitas coisas que quero para essa crian√ßa, √© o direito de crescer num pa√≠s independente, onde possamos contratar e despedir os nossos fazedores de leis. Edmund Burke disse que uma na√ß√£o √© como uma sociedade, entre pessoas que j√° morreram, as pessoas que est√£o vivas agora, e as pessoas que ainda n√£o nasceram.
 
Ser uma na√ß√£o, significa que n√£o somos apenas um grupo indiferenciado de indiv√≠duos, nascidos de um grupo indiferenciado de indiv√≠duos. Imp√Ķe-nos o dever de manter intacta a liberdade que afortunadamente herdamos dos nossos pais, e pass√°-la com seguran√ßa √† gera√ß√£o seguinte. O meu falecido pai, em 1944, ofereceu-se como volunt√°rio para defender pela for√ßa das armas, o nosso direito de viver dentro das nossas pr√≥prias leis, e o nosso povo, no nosso parlamento soberano. N√£o quero que os seus netos percam essa parte da sua heran√ßa. Ent√£o, n√£o deixem ningu√©m assustar-vos e impedir-vos de votarem e agirem democraticamente.
 
N√£o somos apenas a quinta maior economia no mundo, n√£o somos apenas o quarto poder militar, n√£o somos apenas um membro do Conselho de Seguran√ßa da ONU, n√≥s temos o idioma mais falado, temos a capital do mundo, exportamos p√£o naan para a √ćndia, caiaques para os Inuit, ch√° para a China, somos um grande pa√≠s e a nossa can√ß√£o ainda n√£o foi cantada! Ainda temos muito para dar! Embora muito tenha sido tomado, muito permanece; E, apesar de n√£o termos nos dias de hoje essa for√ßa que outrora moveu a terra e o c√©u, aquilo que somos, n√≥s somos.
 
 
 
 



Fonte: http://www.blogtok.com/saidas.php?link=http://acordem.com/blog/32602/

Jesus Cristo sobre a infalibilidade das Escrituras - 20Jan2018 23:25:09

esta__769__escrito_a.jpg

Atualmente, h√° um debate consider√°vel sobre a inerr√Ęncia (infalibilidade) da Escritura. A principal quest√£o √© a autoridade da Palavra de Deus. Mas, se algu√©m se submete √† autoridade de Jesus Cristo (Yeshua HaMashiach), essa pessoa deve, por sua vez, submeter-se √† vis√£o que Cristo tem da pr√≥pria Escritura. Qualquer um e todo aquele que afirme ser crist√£o (um crente sob a autoridade de Cristo) deve manter a mesma vis√£o que Ele teve! E qual foi a vis√£o de Cristo?
 



Fonte: http://www.blogtok.com/saidas.php?link=http://acordem.com/blog/32593/

A Troca de PopulaÁ„o estŠ em Curso na Europa - 20Jan2018 23:25:09

migrantes_2564_sm.jpg

¬†¬†¬† Os traficantes de pessoas trazem os migrantes para os navios das ONGs, que em seguida s√£o enviados aos portos italianos. Outro inqu√©rito foi instaurado no tocante aos interesses econ√īmicos da m√°fia na gest√£o dos migrantes ap√≥s a sua chegada.
 



Fonte: http://www.blogtok.com/saidas.php?link=http://acordem.com/blog/32590/

Pregadores de rua crist„os presos, multados por 'desafiarem os muÁulmanos', 'homofobia' - 20Jan2018 23:25:09

 


BRISTOL, Inglaterra, 2 de mar√ßo de 2017 (LifeSiteNews) - Um magistrado brit√Ęnico condenou dois pregadores de rua crist√£os por conduta desordenada e por usarem "palavras amea√ßadoras e abusivas ... suscept√≠veis de causar alarme".
    O seu crime: falar sobre o cristianismo numa multidão por vezes hostil que inclui muçulmanos e apoiantes do LGBT.
¬†¬†¬† Enquanto o juiz retirou as acusa√ß√Ķes contra um terceiro homem, ele condenou Michael Overd e Michael Stockwell na ter√ßa-feira. Eles enfrentam at√© seis meses de pris√£o.

https://www.lifesitenews.com/news/christian-evangelists-found-guilty-of-disorderly-conduct-for-preaching-gods


















Fonte: http://www.blogtok.com/saidas.php?link=http://acordem.com/blog/32583/

Califůrnia proŪbe viajar para estados que protegem os crist„os que se opűem ao "casamento" gay - 20Jan2018 23:25:09

140430_xavier_becerra_sl_1651_6a100e4fe01e43b5dddbc0114c2c054d.nbcnews_fp_1200_800.jpg

O estado da Califórnia ordenou uma proibição de viagem aos seus funcionários governamentais para estados que adotaram leis para proteger a liberdade religiosa.

O procurador-geral da Califórnia, Xavier Becerra, um democrata pró-aborto, proibiu unilateralmente todas as viagens sancionadas pelo estado para o Alabama, Kentucky, Dakota do Sul e Texas, porque esses estados passaram legislação que permite que aqueles que sustentam o casamento natural e o género biológico vivam de acordo com as suas crenças sinceras.

As a√ß√Ķes de Becerra destinam-se a pressionar os estados alvo para que abandonem as leis da liberdade religiosa que protegem os crist√£os que se op√Ķem √† sodomia e/ou discordam da teoria do g√©nero.

As √ļltimas quatro adi√ß√Ķes elevam a oito o n√ļmero de estados nos ‚ÄúLower 48‚ÄĚ inclu√≠dos na "Lista de Proibi√ß√£o de Viagem" da Calif√≥rnia, o equivalente a oito por cento do pa√≠s.

Becerra informou as suas raz√Ķes para adicionar os quatro estados:

¬†¬†¬† O Alabama promulgou uma lei em maio que permite que as ag√™ncias de ado√ß√£o crist√£s sigam os crit√©rios morais de sua f√© para colocar crian√ßas em lares. Os seus crit√©rios baseados na f√© prioritizam colocar as crian√ßas em fam√≠lias saud√°veis ‚Äč‚Äče est√°veis ‚Äč‚Äčcom uma m√£e e um pai.

¬†¬†¬† Kentucky promulgou uma lei em mar√ßo que reconhece o direito de as organiza√ß√Ķes crist√£s lideradas pelos estudantes nas escolas p√ļblicas aderirem √†s "doutrinas e princ√≠pios" da sua f√© e que pro√≠be que os administradores punam os alunos por expressarem cren√ßas religiosas.

    A lei do Dakota do Sul protege as agências de adoção cristã e de colocação infantil que buscam colocar crianças em famílias tradicionais.

¬†¬†¬† Uma lei similar do Texas promulgada em junho permite que as ag√™ncias crist√£s de assist√™ncia √† inf√Ęncia sejam protegidas de a√ß√Ķes judiciais se colocaram crian√ßas de acordo com suas "cren√ßas religiosas sinceras". Tamb√©m permite que as organiza√ß√Ķes religiosas recusem fazer refer√™ncias a medicamentos ou dispositivos abortivos.

 

"Adicionei quatro estados à lista de estados onde as viagens financiadas ou patrocinadas pela Califórnia serão restringidas devido à natureza discriminatória das leis promulgadas por esses estados", declarou Becerra num comunicado de imprensa. "Quando a Califórnia disse que não toleraria a discriminação contra os membros LGBTQ da nossa comunidade, nós estavamos a falar a sério."

Kansas, Mississippi, Carolina do Norte e Tennessee j√° est√£o proibidos.

As universidades p√ļblicas tamb√©m est√£o proibidas de se deslocarem, o que significa que as equipes desportivas da faculdade podem n√£o jogar contra equipes de estados proibidos, a menos que o jogo j√° tenha sido agendado e contratado antes de 1 de janeiro.

A governadora do Alabama, Kay Ivey, explicou que o projeto de lei Becerra se op√Ķe a simplesmente oferecer liberdades da Primeira Emenda √†s organiza√ß√Ķes religiosas. "Este projeto de lei n√£o trata de discrimina√ß√£o, mas sim protege a capacidade das ag√™ncias religiosas de colocar crian√ßas vulner√°veis ‚Äč‚Äčem lares permanentes", disse ela.

O representante do Alabama, Rich Wingo, R-Tuscaloosa, explicou que sua lei √© necess√°ria para garantir que as organiza√ß√Ķes baseadas na f√© possam seguir suas cren√ßas sem a amea√ßa de serem encerradas.

Por sua vez, o Texas encolhe os ombros à ameaça económica da Califórnia. "A Califórnia pode impedir os seus funcionários estatais, mas eles não podem impedir todas as empresas que estão a fugir da sobre-tributação e excesso de regulamentação e a sua deslocalização para o Texas", disse John Wittman, secretário de imprensa do governador Greg Abbott.

Marc Rylander, diretor de comunica√ß√Ķes do procurador-geral do Texas, Ken Paxton, comentou: "√Č engra√ßado como um estado que √© t√£o energicamente contra reter os terroristas fora do nosso pa√≠s - eles op√Ķem-se √† proibi√ß√£o de viajar promulgada pelo presidente - agora quer manter os californianos fora do Texas".

Os legisladores do Texas argumentaram que, se a Calif√≥rnia realmente estivesse preocupada com os direitos humanos, o governador Jerry Brown n√£o teria viajado para a China recentemente. Real√ßaram tamb√©m que os pol√≠ticos hisp√Ęnicos da Calif√≥rnia desconsideraram a proibi√ß√£o de viajar para virem a Dallas na semana passada para uma conven√ß√£o.

"Enquanto a Calif√≥rnia se orgulha de ter uma "mente aberta", √© apenas uma mente aberta se voc√™ se ajoelhar no altar de uma determinada agenda pol√≠tica", salientou o deputado estadual Wayne Frank, R-Wichita Falls, o autor da lei a que Becerra se op√Ķe. "Parece que a Calif√≥rnia se tornou como muitos campus universit√°rios em todo o pa√≠s. Eles adoram uma diversidade de pessoas, mas n√£o uma diversidade de opini√Ķes."

Na semana passada, um tribunal federal de apela√ß√£o confirmou a ‚ÄúLei de Prote√ß√£o de Liberdade de Consci√™ncia contra a Discrimina√ß√£o Governamental‚ÄĚ do Mississippi, considerada "a medida mais ampla de obje√ß√£o religiosa, que algum estado j√° promulgou." A medida garante que organiza√ß√Ķes religiosas e empresas propriedade de crist√£os que se oponham ao ‚Äúcasamento‚ÄĚ do mesmo sexo n√£o ser√£o for√ßadas a violar as suas cren√ßas sinceras.

A lei de Kentucky que Becerra contesta é conhecida como a "Lei de Charlie Brown", assim chamada depois que uma escola censurou o versículo da Bíblia que Linus recita no final de "A Charlie Brown Christmas".

SACRAMENTO, Califórnia, 27 de junho de 2017 (LifeSiteNews)

https://www.lifesitenews.com/news/california-bans-travel-to-states-that-protect-christians-who-oppose-gay-mar










Fonte: http://www.blogtok.com/saidas.php?link=http://acordem.com/blog/32568/

Ordem dos Psicůlogos Portugueses tenta impor a Ideologia do Gťnero - 20Jan2018 23:25:09

submit_to_Gay_agenda_or_else_P_b.jpg

A Ordem dos Psicólogos Portugueses elaborou um conjunto de Guidelines para intervenção junto de pessoas LGB e outro conjunto para intervenção junto de pessoas Transexuais. O documento encontra-se disponível para consulta no site da Ordem até dia 28 de Junho de 2017.

O documento √© claramente ideol√≥gico e sem quaisquer refer√™ncias cient√≠ficas. Representa uma tentativa de silenciar e afastar da OPP as vozes dissonantes. O seu √Ęmbito vai al√©m do exerc√≠cio da pr√°tica clinica e estende-se a qualquer situa√ß√£o em que o psic√≥logo possa direta ou indiretamente afetar a popula√ß√£o LGBT. Obriga a fazer forma√ß√£o sobre o tema e indica que s√≥ h√° uma forma de lidar com estas pessoas: for√ß√°-los a aceitar que o desconforto criado √© resultado do preconceito social. A solu√ß√£o, de acordo com a OPP, √© apenas assumir a sua identidade LGBT e combater o preconceito.

Assine a petição para enviar um correio electrónico à Ordem dos Psicólgos Portugueses (não deixe de partilhá-la com os seus familiares e amigos):

http://www.citizengo.org/pt-pt/signit/71565/view

N√£o h√° espa√ßo para a consci√™ncia nem para questionamentos morais. Na guideline 10, a OPP chama especificamente a aten√ß√£o para o preconceito ‚Äúinduzido‚ÄĚ pela Igreja Cat√≥lica, sugerindo que os psic√≥logos cat√≥licos devem ter em conta a possibilidade de n√£o poderem agir de acordo com estas guidelines, devendo por isso encaminhar os seus ‚Äúclientes‚ÄĚ.

Assine esta petição para travar mais esta tentativa de limitar a liberdade de expressão de quem não concorda com o discurso da mentalidade dominante e do politicamente correto.

Assine esta petição para que a Ordem dos Psicólogos Portugueses não impeça pessoas em grande sofrimento de serem ajudadas a viver a sua sexualidade de acordo com a visão do homem em que acreditam.

Assine esta petição para evitar que amanhã estas guidelines se transformem numa lei que proíbe o acompanhamento de pessoas com atração indesejada pelo mesmo sexo, como já existe em Malta.

Assine esta petição para que prevaleça a Verdade e não a ideologia!

http://www.citizengo.org/pt-pt/signit/71565/view

Por favor, partilhe esta peti√ß√£o com o maior n√ļmero poss√≠vel de pessoas.

Mais uma vez, muito obrigado pelo apoio.

Guilherme Ferreira e toda a equipa de CitizenGO




Guideline 14

As/Os psic√≥logas/os com responsabilidades nos dom√≠nios da forma√ß√£o e da educa√ß√£o devem incluir nas suas a√ß√Ķes conte√ļdos relacionados com a orienta√ß√£o sexual, favorecendo a desconstru√ß√£o de cren√ßas, atitudes e comportamenos de discrimina√ß√£o contra as pessoas LGB

https://www.ordemdospsicologos.pt/ficheiros/documentos/guidelines_opp_lgbt_marco_2017.pdf
 














Fonte: http://www.blogtok.com/saidas.php?link=http://acordem.com/blog/32566/

Painel controlo
  • Email:
  • Palavra-passe:
  • Lembrar dados
  • Ir administraÁŗo


Procura
Estrangeiro
Mķsica

Ouçam!

Anedotas
Um homem vai ao cinema com o seu c„o.
No fim do filme o c„o levanta-se e bate palmas. Fica toda a gente muito admirada.
- Estou t„o admirado quanto vocÍs !- diz o dono- ele leu o livro e n„o gostou !!
Sondagens
Mķsica Preferida
Rock
Popular
Tradicional Portuguesa
ClŠssica
Outros ladens

raspinja

lisura

afmach

agostinhodasilva

fausto

teoriadoscalhaus

rodinha26
©2018, BlogTok.com | Plataforma xSite. Tecnologia Nacional